Antimonitor HQs Apresenta: S de Supergirl – Parte I

A Garota de Aço já teve várias versões, o que causou grande confusão na cronologia do Superman. Neste especial vamos conhecer suas versões: Algumas histórias anteriores ao surgimento da Supergirl foram essenciais na criação da Garota de Aço. Repostandos abaixo a excelente matéria feita pelo membro do Actions e Comics Confiram:


Action Comics #60 foi a primeira edição a mostrar uma contraparte feminina do Superman. A trama mostrava Lois Lane sonhando que havia ganhado poderes semelhantes ao do Superman graças a uma transfusão de sangue com o herói. Com isso, ela iniciou sua carreira como Superwoman. Histórias semelhantes a esta, em que Lois adquiria poderes, se tornaram freqüentes mais tarde.
Já em Superboy #56 de 1949, o jovem Clark Kent encontrou Queen Lucy, vinda do país Latino-Americano Borgonia, que foi intitulada como Super-Girl.
história do Superboy, intitulada Claire Kent, Alias Super-Sister, apresentou um cunho de igualdade entre os sexos em plena década de 50. Publicada na edição 78 da revista Superboy, a história mostrou o jovem Kal-El sendo transformada em uma garota por uma alienígena que ele ridicularizou por ser fêmea. Com isso, Clark adota o nome de Claire Kent e afirmou ser uma parete distante que veio morar em Smalville com os Kents por um tempo. Para continuar como super-heróis, diz as pessoas que é irmã de Superboy e que os dois trocaram de lugar por um tempo.Os problemas começam quando os homens começam a ridicularizar Claire e duvidar de sua capacidade por ser uma garota e isso faz com que ele queria provar que é capaz, independentemente do sexo. Por fim, tudo se revela como uma ilusão da alienígena, que ensina ao Superboy a não ridicularizar as mulheres nunca mais.
A edição de número 123 de Superman, de 1958, apresentou uma história fundamental para a criação da Supergirl. Na revista, Jimmy Olsen usa um totem mágico para desejar uma “Super-Girl” para servir de companhia ao Superman, que ele achava triste e solitário em sua luta contra o crime. Este ato de nobreza acabou causando vários problemas ao herói, o que fez com que Jimmy desejasse que Super-Girl sumisse da existência. Com esta história, a DC Comics recebeu uma forte resposta do publico para lançar uma personagem semelhante desta vez fixa.

Supergirl Original (Kara Zor-El)

Criada por Otto Binder e Al Plastino, a Supergirl original surgiu em Action Comics #282, de 1959. Kara Zor-El era prima de Kal-El, o Superman. Suas histórias se passavam na Terra 1 da cronologia Pré-Crise nas Infinitas Terras. Na trama, Argo City foi uma cidade que sobreviveu a destruição do planeta Krypton, porém, o solo da cidade foi transformado em Kryptonita, o que acabou matando toda a população. Seus pais, Alura In-Ze e Zor-El (irmão de Jor-El, pai biológico de Kal-El), a enviaram a Terra, onde Zor havia recentemente descoberto a presença de Superman.

Para que Superman reconhece Kara como uma habitante de Krypton, Alura confeccionou para Kara um uniforme semelhante ao do herói. Ao chegar na Terra, Kara ganhou grandes poderes e propiciou a Superman a grande surpresa de descobrir que ela era sua prima. A partir daí, Clark adotou uma posturam de irmão mais velho com Kara. Com a intenção de treinar sua prima antes dela se tornar uma super-heróina, Superman a levou para o orfanato de Midvale, onde a garota aprendeu os hábitos terrestres. Ainda no orfanato, já atuava como Supergirl e tinha uma identidade secreta, porém, apenas algum tempo depois Superman apresentou Supergirl ao mundo.
Algum tempo depois, Kara foi adotada pelo casal Fred e Edina Danvers, passando a se chamar Linda Lee Danvers. A Garota de Aço teve várias profissões – de repórter à atriz de novela. Essa indecisão também se refletia em seus uniformes e sua vida amorosa. A heroína teve vários uniformes e namorados – incluindo Cometa, Jerro e Dick Malvene-, mas o mais significativo foi Brainiac 5, o gênio da Legião dos Super-Heróis, grupo do qual a Garota de Aço fazia parte em suas constantes viagens no tempo. A Kryptoniana deixava Brainiac 5 bastante distraído, fazendo com que ele, mesmo com toda sua inteligência, cometesse erros que colocavam ele e seus companheiros de equipe em grande perigo. Assim como seu primo, Kara tinha vários animais de estimações superpoderosos, como Raiado, o Supergato, resultado de um experimento seu com Kryptonita, e Cometa, o Supercavalo, que quando humano, se envolvia com a heroína. Kara tinha como grande amiga Barbara Gordon, a Batgirl.
A Supergirl chegou a ganhar seu próprio filme em 1984. Produzido pela mesma equipe dos filmes do Superman e tendo a atriz Helen Slater bem fiel à Supergirl das HQs, o filme apresentou uma série de erros que resultou um grande fracasso de bilheteria, apesar do bom orçamento e atores.

Contudo, numa decisão editorial, a DC, decidiu reformular toda sua cronologia e assim decretando que Superman fosse o único sobrevivente de Krypton. Para tal, foi publicada a maxi-série Crise nas Infinitas Terras no aniversário de 50 anos da editora. A saga resolveu este e outros impasses cronológicos criados com o surgimento do Multiverso e afins. Assim, em Crisis on Infinite Earths #7, Supergirl foi assassinada pelo Antimonitor enquanto salvava seu primo. No final da saga, que reformulou o UDC, Kara Zor-El e muitos outros personagens foram apagados da existência e da memória de todos. A história da morte da Supergirl original, cuja capa da edição foi desenhada por George Pérez e é até hoje uma das capas mais famosas e imitadas, é considerada, ironicamente, a melhor história de Kara.

Apesar de ninguém se lembrar de sua vida no plano da materialidade de existência, a alma de Kara fez uma aparição em uma história intitulada “Should Auld Acquaintance Be Forgot” na edição Christmas with the Super-Heroes #2 (1989). Boston Brand, o Desafiador tenta sentir o calor do Natal possuindo os corpos de foliões. Vivenciando a culpa ao perceber que ele vem roubando as emoções dos outros, ele voa, sentindo pena de si mesmo por não ter recebida qualquer recompensa por um ano repleto de ajuda às pessoas. Uma garota loira fantasiada aborda Brand, assustando-o. Ela pode ver Desafiador, normalmente invisíveil, e conversar com ele e, finalmente, lembrando ele: “Nós não fazemos isso pela glória. Nós não fazemos isso pelo reconhecimento…Fazemos porque isso precisa ser feito. Porque se nãofizermos, ninguém fará. E nós fazemos isso mesmo ninguém sabendo o que fizemos. Mesmo que ninguém saiba que existismos. Mesmo que ninguém se lembra que já existismos “. A garota lembra a Brand que, apesar dele estar morto, ele ainda é humano, e ele deve se alegrar porque isso significa que seu espírito ainda está vivo. Quando ela vai embora, Desafiador lhe pergunta quem ela é, e ouve dela: “Meu nome é Kara. Embora eu duvide que isso vai significar alguma coisa para você”. “A história, escrita por Alan Brennert e desenhada por DickGiordano, é dedicada a Otto Binder e Jim Mooney, acrescentando: “Nós ainda lembramos “.(We still remember)

Além disso, Kara se encontrou com Linda Danvers e a moderna Kara Zor-El. Ela também apareceu em Crise Final: Legião dos Três Mundos, sendo uma dos milhares de Legionários vindos de linhas do tempo, mundos e realidades alternativas convocados por Cósmico, Satúrnia e Relâmpago para deter o Senhor do Tempo Primordial.

Poderosa (Kara Zor-L da Terra 2 Pré-Crise)

Criada em 1976, Poderosa é a contraparte da Terra 2 da Supergirl (Kara Zor-El) da Terra 1. Kara-L era prima de Kal-L, o Superman da Terra 2. Quando Krypton 2 estava prestes a explodir, Zor-L lançou sua filha em uma nave rumo à Terra 2, assim como seu irmão lançou seu filho Kal-L. Porém, a nave de Kara fez uma longa jornada até a Terra 2 e consequentemente, a garota apenas chegou décadas após seu primo.
Na Terra 2, sob os raios do Sol amarelo, Kara ganhou poderes semelhantes aos de seu primo. Lois, esposa de seu primo, fez de Kara sua filha. Com isso, assumiu o codinome de Poderosa no intuito de ajudar seu primo no combate ao crime e ingressar na SJA. Nesse período, adotou a identidade secreta de Karen Starr e ganhou uma melhor amiga, Caçadora, Helena Wayne, filha do Batman e da Mulher-Gato da Terra 2.
Porém, tudo mudou drasticamente quando ocorreu o evento conhecido como Crise nas Infinitas. Todo o Multiverso, incluindo a Terra 2, foi apagado da existência devido às batalhas entre Antimonitor e os heróis. Além disso, toda a realidade foi reescrita. De alguma maneira, Kara sobreviveu e foi colocada à força nessa nova cronologia, sem uma origem e história concreta. Inicialmente, nesta nova cronologia, foi dito que Kara era neta do lendário mago Atlante Arion que a enviou para o futuro para mantê-la segura. Mais tarde, Poderosa se tornou membro da Liga da Justiça Europa. Durante a saga Zero Hora, Poderosa ficou misteriosamente e misticamente grávida. Ao fim do evento, ela pariu um menino, Equinox, que teve crescimento em ritmo acelerado e logo depois desapareceu. Aparentemente, este fato foi apagado da existência, pois nem Poderosa lembra de ter ficado grávida.

Mais tarde, Poderosa se tornou um membro chave na Sociedade da Justiça. Posteriormente, durante a Crise Infinita, Poderosa descobriu pelo Pirata Psíquico, único ser que lembrava da realidade Pré-Crise e que estava a serviço de Alex Luthor Jr da Terra 3 – disfarçado como Lex Luthor -, sua verdadeira origem, explicando-lhe que ela vinha na verdade da Terra 2.

Em seguida, os sobreviventes da Crise original – Kal-L, Lois Lane, Alex Luthor da Terra 3 e Superboy Primordial – decidiram vir à Terra para salvá-la da corrupção. Imediatamente, Kal-L foi ao encontro de sua prima. Durante o encontro dos dois, Kal contou a Kara sobre o Multiverso e sua história original. Apesar disso, Poderosa só veio a se lembrar de tudo isso quando tocou em sua “mãe” Lois, bastante doente na época. Poderosa pensou que viveria feliz para sempre junto à sua família de verdade, porém, quando Superboy Primordial e Alex puseram em prática seu plano de criar uma Terra perfeita, ela viu seus sonhos ruírem quando Lois morreu devido à sua doença e Kal-L foi espancado até a morte pelo Superboy Primordial. Kara, então, finalmente percebeu que sua verdadeira família era a SJA. Enquanto isso, ela mal sabia que um novo Multiverso fora criado após a Crise Infinita.

Mais tarde, durante uma missão, a SJA recebeu como membro o Superman da Terra 22, que se assemelhava ao primo de Kara, que ficou chocada quando descobriu que ele não era seu primo, mas mesmo assim o auxiliou a se adaptar na Nova Terra. Durante um confronto com Gog, Poderosa foi lançada pela entidade para a nova Terra 2, criada pelos eventos de Crise Infinita. Chegando lá, Poderosa conheceu Sociedade da Justiça Infinita, porém, ela descobriu que a nova Terra 2 já havia criado uma nova contraparte sua, que entrou em confronto com Kara. Após um confronto entre a SJA e a SJI, Kara retornou à Nova Terra e pôde ajudar a SJA a derrotar Gog. Durante a Noite Mais Densa, Poderosa superou seu trauma ao derrotar o Lanterna Negro Kal-L. Karen continua até hoje na ativa.

Supergirl Pós-Crise (Matriz/Mae)

Criada na esteira da reformulação do Superman feita por John Byrne após Crise nas Infinitas Terras e na necessidade de se manter viva uma possível franquia, Matriz era uma forma de vida artificial feita de protoplasma criada por um Lex Luthor do Universo Compacto, um Universo paralelo, para vir à Terra e conseguir a ajuda do Superman para combater três vilões Kryptonianos. Apesar da morte dos vilões, a Terra Compacta foi devastada. Felizmente, Superman levou Matriz para a Terra, onde ela passou um tempo sob os cuidados dos Kents, sendo considerada filha do casal, que a batizou de Mae. Matriz não era Kryptoniana, nem prima do Superman e tampouco seus poderes eram iguais ao do Homem de Aço. Matriz apresentava capacidade de vôo, invisibilidade, telecinese e podia assumir qualquer forma. Sob a identidade de Supergirl, chocou a todos quando começou a namorar Lex Luthor II (que clamava ser filho de Luhtor, quanto na verdade era clone dele).

Durante a luta mortal entre Superman e Apocalypse, Supergirl foi ferida pelo monstro, fazendo com que ela inconscientemente voltasse a sua forma original, uma massa humanóide. Após se recuperar, Supergirl defendeu Metrópolis enquanto Superman estava morto. No mesmo período, conheceu Superboy, clone jovem do Superman, e ajudou o Homem de Aço original retornar à vida. Além disso, assumiu a forma de Clark Kent para explicar o que havia acontecido com Kent durante o tempo que Superman estava morto.
Sua maior choque veio quando ela descobriu a verdadeira natureza de Lex, ficando furiosa e destruindo seu laboratório e quase matando Lex. Agindo por conta própria, Supergirl foi atacada pela forma demoníaca de Ravena, que plantou as “sementes” de Trigon na heroína. Ravena e seus aliados corrompidos (Mutano, Magenta, Asa Mortal, Trovão & Relâmpago e Supergirl) confrontaram os Titãs. Durante o conflito, Supergirl foi capaz de se libertar do domínio de Ravena Negra, ajudando os Titãs. Em seguida, a heroína aceitou ser membro do grupo a convite de Arsenal, com que também se relacionou. Entretanto, o grupo logo se desfez.

Logo depois, uma grande mudança ocorreu…

Supergirl (Linda Danvers)

Na tentativa de cativar mais leitores, o escritor Peter David decidiu reformular a Supergirl totalmente. Assim, em 1996, surgiu Linda Danvers. Filha de um policial e de uma religiosa, Linda vivia suas próprias crises adolescentes e sofria de ma profunda falta de fé na vida. Morando numa cidadezinha chamada Leesburg, Linda tinha grande obsessão pela Supergirl (Matriz).
Aproveitando-se da falta de fé de Linda, Buzz a seduziu para sacrificá-la para conjurar uma entidade demoníaca na Terra. Em crise de identidade, Supergirl (Matriz/Mae) tentou ajudar Linda, encontrando-a moribunda. Tentando salvá-la, Matriz foi mesclou seu corpo de protomatéria ao da adolescente e as duas acabaram se fundindo, o que formou a nova Supergirl. A fusão trouxe grande mudanças e acabou por se descobrir que a nova Supergirl havia se transformada em um Anjo Terrestre, que surge quando alguém sacrifica si mesmo desinteressadamente para salvar alguém além da salvação. Como efeito coletara, a nova e vitaminada Supergirl ainda ganhou asas flamejantes, a capacidade de gerar chamas e a habilidade de se telepoortar para qualquer lugar onde já tenha estado. Mais tarde, ela descobriu que era a Anjo do Fogo.
Após um conflito com uma criatura chama Carnívoro, a porção Matriz da Supergirl desapareceu. Assim, coube a Linda Danvers, sozinha, prosseguir no papel da Garota de Aço, dispondo apenas de uma pálida sombra de seus antigos poderes e usando um novo uniforme (semelhante a Supergirl do DCAU). A partir daí, Supergirl enfrentou diversos desafios. Ela lutou contra sondas de Imperiex durante Mundos em Guerra e enfrentou uma espécie de Supergirl Bizarra, uma clone malformada da heroína.

Mais tarde, Lilith, a Mãe Demônio e mãe de Carnívoro queria libertar seu filho da e para tal precisava derrotar a Supergirl. Lilith acabou localizando a manifestação do Anjo Terrestre e, aproveitando-se da natureza confusa da Supergirl Bizarra, a faz trabalhar para ela.Com as duas estava Crepuscular, vinda de Apokolips, que era forçada a trabalhar para Lilith a fim de libertar sua irmã, aprisionada por ela. No confronto definitivo com Lilith, Matriz/Anjo Terrestre surge e Supergirl Bizarra e Mary Marvel morrem, mas felizmente, Lilith foi enviada com seu filho para a Perdição. Gravemente ferida, Linda estava prestes a se fundir novamente com a Matriz/Anjo Terrestre quando pede à entidade que se mesclasse a Crepuscular, ferida durante o confronto.

Totalmente recuperada após a fusão, Crepuscular ressuscitou tanto Mary Marvel quanto Linda Danvers, restaurando seus poderes ao maior nível possível, passando para ela o manto de Supergirl.

O Retorno de Kara Zor-El original: Surpreendentemente, Linda acabou encontrando Kara Zor-El, vinda da realidade Pré-Crise. Kara, ao invés de chegar na Terra 1 Pré-Crise, acabou aterrissando na Terra Pós-Crise. Depois de um começo difícil, as duas se tornaram amigas, com Linda tutoriando Kara sobre como ser um herói.

A presença de Kara na era Pós-Crise iria desestabilizar o espaço-tempo. Tentando impedir isso, o Espectro (Hal Jordan na época) apareceu e disse que Kara estava destinada a morrer. Aparentemente, uma entidade cósmica chamada Fatalista tinha alterado o cronograma para sua própria diversão e para irritar seu mestre, Xenon, um ser com um ódio patológico pela Supergirl. Não surpreendentemente, a jovem Kara Zor-El não queria aceitar que ela estava destinada a morrer tão jovem. Em prantos, implorou para que Linda encotrasse alguma maneira de salvá-la. Linda mentiu para ela, a fim de acalmá-la e mandá-la embora, só depois que ela tinha partido, Kara Zor-El percebeu a verdadeira intenção de Linda. Linda secretamente tomou o lugar de Kara, e se enviou para a era Pré-Crise, posando como Kara e esperando para morrer em seu lugar, a fim de proporcionar a Kara Zor-El uma chance de vida.Na Terra 1, Linda se passa como Kara e se torna a Supergirl, enganando Superman. Porém, o Homem de Aço acabou revelando que sabia da mentira de Linda e os dois acabam se cansado e tendo uma filha, Ariella.
Porém, ao ser alertada pelo Espectro que essa mudança era de grande risco a toda continuidade, Linda retornou a era Pós-Crise, onde junto a Kara, derrotou Xenon. Em seguida, Kara finalmente seguiu seu destino. Ao mesmo tempo, nascia Wally, irmão de Linda.

De acordo com uma entrevista ao Newsarama, após os acontecimentos de Crise Infinita, Dan Didio afirmou que a Supergirl Matriz foi apagada da existência. No entanto, Geoff Johns depois declarou:

“Quanto a esta hein …? Linda Danvers não foi apagada.”

Porém, tempos depois, o Pacto das Sombras atacou Linda Danvers em seu apartamento em Gotham City, o que a leva a se defender, manifestando as asas flamejantes que ela tinha quando se fundiu à Matriz. Entretanto, ela foi subjugada por Demônio Azul e pela Encantadora. Todavia, ela foi teleportada para o Inferno, que estava cobrando suas dívidas. Em seguida, ela reaparece como um anjo caído trazido por Lilith. Muito confuso não?

CONTINUA NA PARTE II

Sobre tioultimate

blog tipo 2 do titio ultimate
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

8 respostas para Antimonitor HQs Apresenta: S de Supergirl – Parte I

  1. Anonymous disse:

    DOR DE CABEÇA…. :(…Mas o texto tá muito bom.

  2. Anonymous disse:

    Muito legal essa matéria. Eu não conhecia todas as informações sobre a Supergirl. Particularmente, gosto mais da Poderosa.

  3. IRCEU disse:

    ULTIMATEEEEEEEEE!Lembra de mim é o Irceu,te ajudei com o battlestar a um tempo atráse tive problemas pessoais e tais e nunca mais pude ajudar,mas comentar eu posso!!!Intão cara espero que vc leia esse post,ja ouviu falar de CHAMPIONS ONLINE????É um mmorpg free de super herois, da mesma empresa de city of heroes e city of villains,e é FREE MAN!Poderia fazer um post né,com o link para download, link para registro,e quem sabe fazer uma equipe,uma liga da justiça BR no game.Que tal,se quiser me responder,meu e-mail ainda é o mesmo,se vc tiver no msn, é so digitar meu nome!Abração cara,adoro seu trabalho!

  4. Anonymous disse:

    Tradução: DC é muito ruim mesmo…Hahahahaha!!!

  5. thiago disse:

    cara, tenho q concordar.. ô história enrolada PQP. maior punheta a história da mulé. vai, volta, morre, volta, morre de novo, volta outra etc

  6. Anonymous disse:

    Antes da metada ja me perdi tudo, tremenda baderna.

  7. Veronica disse:

    Muito complicado, que isso.A cronologia da DC é muito bagunçada,muda sempre.põe dor de cabeça nisso…ficou bem legal o artigo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s